contato@periciaeletrica.com.br | (41) 3011-3611 | Curitiba-PR

Primeiramente, é recomendado que o perito judicial tenha um currículo específico. Nesse sentido, existem informações que devem obrigatoriamente estar presentes no seu CV.

Essa é uma dúvida muito comum que recebemos dos nossos alunos. Afinal, o que não pode faltar no currículo do perito judicial?

Nesse artigo você aprenderá


1) Como elaborar um currículo de perito judicial;
2) O que não pode faltar no currículo do perito judicial.

Se você quiser aprender como se tornar um perito judicial o engenheiro Daniel dá algumas dicas no vídeo abaixo

 

Como elaborar um currículo de perito judicial

 

Antes de tudo, o perito judicial deve elaborar um currículo específico. Isso não é uma regra, mas uma boa prática do mercado.

Portanto, existem boas práticas de como elaborar um bom currículo, entre eles, possuir no máximo uma página, ou seja, é um CV específico, bem resumido mesmo.

Não recomendamos usar um CV “completo”, com mais de uma página, pois a chance de ele não ser lido é grande. Afinal, você quer que seu currículo seja apreciado, portanto, deixe ele resumido.

Outro ponto importante é utilizar um layout atrativo. Nesse sentido, utilize a sua criatividade à vontade. Deixe o seu CV bem atrativo e que chame atenção.

Você pode usar modelos para se inspirar, como no próprio Microsoft Word, ou até no Canva. Eu fiz o meu neste aplicativo pois lá tem modelos mais atrativos.

Caso você queira aprender mais sobre o Canva é só clicar no link abaixo

Criar currículo com o Canva

Perito judicial capriche no layout do seu currículo, afinal, ele é o seu cartão de visitas e mostra o quanto você zela pelo seu trabalho.

 

O que não pode faltar no currículo do perito judicial

 

Primeiramente, o currículo do perito judicial deve ter algumas informações básicas de contato. Nesse sentido, não esqueça do seu endereço completo, ou seja, nome da rua, número, CEP etc.

É interessante também inserir um endereço de e-mail, pode ser até ser seu e-mail pessoal. Mas, por favor, evite um nome de e-mail embaraçoso.

Sobretudo, insira seus telefones de contato. Um residencial e um celular já são suficientes. Também é recomendado colocar um número de telefone para recados.

Já ocorreu da comarca precisar falar comigo e eles ligaram para o telefone de recados. Em seguida, a pessoa que atendeu anotou o recado e me repassou. Não é um item obrigatório, mas é recomendado.

Adicione também a sua experiência profissional. Não existe um limite máximo e nem mínimo. Por exemplo, no meu currículo inseri meus 4 últimos empregos.

É interessante colocar também os cursos que você concluiu. Claro, que estejam alinhados com a perícia judicial. Isso demonstra que você é uma pessoa que busca atualização e conhecimento.

Sobre fotos, isso é muito pessoal de cada perito. No meu currículo eu não inseri mas conheço peritos que colocaram. Fica a sua critério.

Espero ter te ajudado a clarear sobre o currículo do perito judicial. Como dica final não adianta buscar perfeição e caso tenha dúvidas peça para alguém de confiança ler o seu CV.

E você, quais itens a mais você colocou no seu CV? Deixe a resposta nos comentários e vamos debater, assim um ajuda o outro

 

Caso você queira descobrir mais é só acessar esses artigos das principais perícias da área elétrica:

O que é uma perícia de ressarcimento de danos elétricos

“Furto” de energia elétrica – Como proceder em situações como essa

Clique no link abaixo e conheça os nossos treinamentos de Perícia Judicial para Peritos(as):

Próximas turmas dos cursos ao vivo de Perícia Elétrica Judicial

Por | 2022-04-17T17:22:45-03:00 abril 4th, 2022|Perícia Judicial|

Sobre o autor:

| Engenheiro eletricista | Mestre em engenharia elétrica | Professor universitário | Fundador da AJL Perícia elétrica. Atua com perícia judicial desde 2017 e é o instrutor responsável pelo curso de ressarcimento de danos elétricos. Atua também na area extrajudicial com assistência técnica e laudo para crédito de ICMS.

Deixe um comentário!

WhatsApp chat