contato@periciaeletrica.com.br | (41) 3011-3611 | Curitiba-PR

Os usuários do sistema elétrico estão suscetíveis às interferências no fornecimento, capazes de causar oscilação de tensão e perda na qualidade do serviço prestado por distribuidoras. Com isso, é sobre um tipo destas interferências que vamos discutir abaixo.

 

Conceito da oscilação de tensão

 

Uma variação significativa no valor médio do nível de tensão entregue à unidade consumidora pode ser considerada uma oscilação de tensão que, por muitos, é chamada de flutuação de tensão. A oscilação pode ter uma origem natural, como descargas atmosféricas, ou sistêmicas oriundas de anomalias no sistema elétrico.

Um simples sinal, como o enfraquecimento no brilho de uma lâmpada, pode ser um indício deste problema que deve ser tratado a partir da análise e de recursos técnicos aplicados por profissionais competentes.

 

Origem do problema

 

Muitas podem ser as causas de um problema de oscilação de tensão. Dividimos tais causas em dois grupos:

  1. Fenômenos naturais: De acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) cerca de 60 milhões de raios caem no Brasil por ano. Na ocorrência da descarga atmosférica e devido a exposição de grande parte da rede elétrica (em cabos aéreos), podem haver surtos de tensão pelo escoamento das ondas eletromagnéticas pelos cabos da rede elétrica, que podem percorrer até 5 km desde o ponto de queda do raio;
  2. Anomalias técnicas: Diversos fatores técnicos podem fazer com que a tensão num ponto de consumo venha a oscilar. Entre tais causas destacam-se a falta de manutenção oferecida pelas concessionárias de energia. Situações técnicas como a distância entre a unidade consumidora e o transformador de distribuição, degradação de condutores de baixa e média tensão e a sobrecarga dos sistemas, principalmente nas horas de pico, tendem a favorecer a ocorrência da oscilação.

 

Padrão de tensão

 

A ANEEL apresenta regulamentações dos valores de tensão que os clientes de concessionárias de energia devem ser supridos em todos os níveis de tensão possíveis. Abaixo apresenta-se valores padronizados para fornecimento em 220 V, com base no módulo 8 do Prodist.

– Tensão adequada: Entre 202 V e 231 V;

– Tensão precária: Entre 191 V e 202 V ou entre 231 V e 233 V;

– Tensão crítica: Abaixo de 191 V ou acima de 233 V.

 

Prejuízos da oscilação de tensão

 

Alguns aparelhos e equipamentos instalados em residências, pontos comerciais e indústrias em geral são mais sensíveis à oscilação de tensão devido a presença de componentes eletrônicos como computadores, televisores e alguns tipos de lâmpadas ou pela presença de parte eletromagnéticas como refrigeradores e aparelhos com motores. Após sofrer a oscilação de tensão, os equipamentos podem apresentar mal funcionamento devido a desgastes internos e até mesmo deixar de funcionar devido à “queima” dos mesmos.

 

Como proteger a instalação deste problema?

 

Muitas soluções podem resolver definitivamente esta anomalia ou atenuar a ocorrência dela. Em qualquer das sugestões a seguir, a presença de um profissional especializado deve ser sempre adotada para avaliar e bem aplicar a execução da correção.

– Implantação de sistema de monitoramento do nível de tensão em circuitos;

– Instalação de nobreaks, estabilizadores e filtros de linha;

– Instalação de sistema de proteção contra descargas atmosféricas (para-raios);

– Certificação da existência e condições da malha de aterramento;

– Sistema de backup do fornecimento com banco de baterias e geradores.

 

Responsabilidades da distribuidora de energia

 

No que diz respeito aos cuidados com a rede elétrica, tanto cliente quanto distribuidor têm as suas responsabilidades. Em caso de ocorrências de oscilação, o consumidor deve registrar o fato e assegurar que a sua rede interna/particular se encontra em perfeito estado, e para isso faz-se necessário a contratação de profissionais em perícia elétrica.

Após registro da ocorrência e se houve danos elétricos como perda de equipamentos devido a oscilação da tensão, segundo a ANEEL, a concessionária local deve encaminhar técnicos à unidade consumidora em até 10 dias para realizar avaliações técnicas e se confirmado os danos elétricos, restituir o consumidor num prazo de até 90 dias.

Em qualquer circunstância, garanta sempre que a sua instalação está com as manutenções elétricas em dia! Segurança e qualidade devem estar sempre em primeiro lugar!

 

Veja também:

Cabos irregulares | Uma realidade nas instalações elétricas do Brasil

Fraude com energia elétrica – O abuso por parte das concessionárias no Brasil

Modelo de laudo de inspeção elétrica para condomínios residenciais

By | 2020-02-28T08:08:10-03:00 fevereiro 10th, 2020|Dicas técnicas|

About the Author:

Avatar
Engenheiro Eletricista na Empresa SmartEng - Serviços de Engenharia/ Pós-graduando em Sistemas Elétricos de Potência e Controlador de Operações do Sistema Elétrico. Possui amplo conhecimento em manutenção e operação de sistemas de distribuição de energia, além de atuar nas áreas de projeto elétrico e eficiência energética. Realizo palestras e treinamentos voltados ao setor elétrico.

Leave A Comment